Presídios de Tremembé ganharão canis. Detento que cuidar de cães e gatos terá pena reduzida

https://i1.wp.com/www.petvale.com.br/imagens/guia_de_racas_cachorros-border-collie.jpg

Dois presídios de Tremembé, em São Paulo, começarão a receber cães e gatos abandonados para ajudar na superlotação do Centro de Controle de Zoonoses de Taubaté, local que abriga cerca de 500 animais. A partir de maio, em obras que devem durar quatro meses, dez detentos serão responsáveis pela construção dos canis no Centro de Progressão Penitenciária (CPP) Dr. Edgar Magalhães Noronha, o chamado Pemano, e no P1.

As estruturas terão capacidade para 200 animais e os detentos serão capacitados para técnicas de banho, tosa e adestramento. O trabalho será utilizado para diminuição da pena.

A iniciativa partiu da juíza Sueli Zeraik, da 1ª Vara de Execuções Criminais (VEC) de Taubaté. Segundo ela, o contato do preso com os animais é responsável por criar afeto, carinho e a reaproximação com as pessoas.

A expectativa é que com os canis o número de adoções aumente, pois os animais que vão para os presídios ficarão disponíveis para adoção pelos familiares dos presos e pela população. O acesso ao canil não será através dos presídios.

Imagens: Reprodução/fonte:via

Anúncios

Esse vídeo de dois linces gritando um com o outro é a coisa mais bizarra que você verá hoje

Se você não faz ideia de como um lince descontente soa, é só assistir ao vídeo abaixo.

Os sons parecem seres humanos se lamentando, mas, de acordo com Edward Trist, o homem que fez a filmagem, ela não foi alterada.É exatamente isso que ele ouviu enquanto caminhava com sua namorada e sua filha até o Lago Avery, em Ontário, no Canadá, para pescar.

O trio se deparou com a rara visão e parou um tempo para observar a cena. Conforme Trist contou para o portal Global News, os dois felinos fizeram esses estranhos sons durante a maior parte do tempo, vez ou outra parecendo quase dar cabeçadas um no outro. Em certo ponto, um deles chega a dar uma patada no outro.

Um trevo de quatro folhas

A cena é de fato rara porque o lince é um animal solitário que habita remotas florestas do norte da América do Norte, Europa e Ásia. Sua pele grossa é o que os mantém aquecidos durante os invernos frios desses locais.

Esses gatos furtivos evitam humanos e caçam à noite. Existem várias espécies, sendo que as europeias e asiáticas são tipicamente maiores do que o lince do Canadá.

Todos esses felinos são caçadores habilidosos com ótima audição – os tufos nas suas orelhas são aparelhos auditivos. Também possuem uma visão incrível: um lince consegue avistar um rato a 75 metros de distância.

fonte:via [BoingBoing, NatGeo]