Grafiteiro espanhol usa criatividade para criar fantásticos murais nas ruas

É quase impossível passar por um dos murais criados pelo artista espanhol Sath e não parar para olhar duas vezes. Com muito humor e permeada pela crítica social, a arte de rua produzida pelo artista nos transporta para um mundo fantástico onde (quase) tudo é possível.

Suas composições podem ser encontradas na Espanha, Malásia e Tailândia e prometem deixar você com aquela pulga atrás da orelha. Em alguns casos, os desenhos interagem com o ambiente em que foram pintados, complementando-o ou recontextualizando o espaço. Em outros, servem como ponto de partida para reflexão ou podem até mesmo trazer uma mensagem humorística, como no caso do mural em que se lê “Love is in the hair” (“O Amor Está nos Pelos”, em tradução livre) – jogo de palavras que remete à “love is in the air” (“o amor está no ar”).

Vem ver:

sath1

sath2

sath3

sath4

sath5

sath6

sath7

sath8

sath9

sath10

sath11

sath12

sath13

sath14

sath15

sath16

Todas as fotos © Sath

Anúncios

A incrível e criativa guerra de posts-its que está rolando esta semana em Nova York

Canal Street é uma rua localizada em Manhattan, Nova Iorque, famosa pela alta concentração de agências de publicidade. Empresas de renome, como Havas Worldwide, Horizon Media, Cake Group, Biolumina e Harrison and Star. Ou seja, de lá surgem algumas das ideias mais criativas do mundo. E na última semana tivemos uma demonstração disso.

Tudo começou com um gentil “Hi” (oi) escrito com post-its colados na janela de uma das agências. Isso desencadeou uma verdadeira guerra de mensagens e desenhos feitos com o famoso papel de recados.

RTSEXGN 

A brincadeira resultou em verdadeiras obras de arte, deixando a rua mais alegre e colorida. E o melhor, você pode acompanhar passo a passo cada uma das intervenções pela #canalnotes no Twitter. Olha isso:

RTSEXH5 

RTSEXH6_0 

PostItWar1 

RTSEXGT 

RTSEXH2 

RTSEXGO 

PostItWar2 

PostItWar3 

PostItWar4 

PostItWar5 

PostItWar6 

PostItWar7 

PostItWar9 

PostItWar8 

 

RTSEXGJ

Todas as imagens © Reprodução Twitter

Quatro irmãos separados na adoção vivem surpreendente final feliz

Por mais difícil que a vida possa ser, às vezes as mais adversas histórias nos oferecem um surpreendente e inesperado final feliz. É o caso da família Washington que, após adotar três irmãos, se viu diante de um inesperado impasse. Mais surpreendente, porém, foi a solução encontrada.

 IRMÃOS2

Ao fim do processo de adoção dos três meninos, Julia Washington e seu marido – que já tinham dois filhos biológicos – receberam a informação de que havia um quarto irmão, ainda com 17 meses de idade, também esperando por uma família adotiva.

"Eu passei 389 dias em um orfanato, mas hoje fui adotado"

Apesar do impulso de também adotá-lo, Julia sabia que não teria meios e recursos para oferecer a atenção e dedicação devida a todos, especialmente porque um dos meninos já adotados possui paralisia cerebral. A opção de deixá-los separados por milhares de quilômetros, no entanto, era também inaceitável.

IRMÃOS5

Foi quando entrou em cena Jay Houston, vizinha e amiga da família Washington. Jay jamais havia pensado em adotar uma criança, mas ao tomar conhecimento do dilema vizinho, resolveu se oferecer como solução: adotou o quarto bebê, que passou a viver a minutos de distância de seus irmãos.

IRMÃOS1

Depois de tanto tempo vivendo em orfanatos, os irmãos poderão, enfim, crescer como uma grande família – plena de pessoas, casas e afeto.

IRMÃOS4

Veja a história contada em inglês pelos próprios personagens, em reportagem para a TV americana:

Todas as fotos © Reprodução

Projeto fotográfico registra o interior da geladeira de pessoas de diferentes origens, profissões e classes sociais

https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-9/13495165_1741093602833727_8855746042293302255_n.jpg?oh=d9f6e7937245df940b4c955c541241f3&oe=57FE635F&__gda__=1475584864_861c2290f124755a8521b8ac1a2d273b

Se somos o que comemos, nossas geladeiras podem servir como metáforas de nossas vidas. O que essa metáfora quer dizer sobre nós, esse é um enigma difícil de se responder. Mas basta reparar em algumas das fotografias do ensaio Geladeiras, do fotógrafo Mark Menjivar – e principalmente ler suas legendas – para saber que há mais coisas entre nós e nossas geladeiras do que supõe nossa vã gastronomia.

Como será a geladeira de alguém que vai dormir às 8 da manhã e acorda às 4 da tarde? E a de um baterista de uma banda de death metal? O que essa geladeira revela sobre seu dono? Você já pensou sobre a geladeira de um cego que vive sozinho? Ou de um recém divorciado após 33 anos de casado? Esses são algumas das perguntas que o ensaio de Mark nos oferece. As respostas, porém, são tão abertas quanto a porta de nossas geladeiras – e nossas bocas, famintas, procurando o que comer.

Bar tender | Dorme às 8 da manhã e acorda às 4 da tarde

Bar tender | Dorme às 8 da manhã e acorda às 4 da tarde

Estudante | Baterista de uma banda de death metal Estudante | Baterista de uma banda de death metal

Anunciante de rua | Vive em um orçamento mensal de 432 dólares Anunciante de rua | Vive em um orçamento mensal de 432 dólares

Artista gastronômico | Tem uma padaria vegana em sua casa Artista gastronômico | Tem uma padaria vegana em sua casa

Inválido | Pesava 176 quilos até o início do ano Inválido | Pesava 176 quilos até o início do ano

 Voluntário comunitário | Completamente cego, vive sozinho Voluntário comunitário | Completamente cego, vive sozinho

Construção civil/Dona de casa | A esposa acorda todo dia às 4 da manhã para preparar o café da manhã da família Construção civil/Dona de casa | A esposa acorda todo dia às 4 da manhã para preparar o café da manhã da família

Atendente em uma delicatessen | Rompeu com a família ao se casar com um homem negro Atendente em uma delicatessen | Rompeu com a família ao se casar com um homem negro

Engenheiro | Família de origem porto-riquenha e italiana Engenheiro | Família de origem porto-riquenha e italiana

Jornalista/Designer/Professor infantil | Escreve o obituário do jornal local Jornalista/Designer/Professor infantil | Escreve o obituário do jornal local

© fotos: Mark Menjivar

Hotel promete experiência incrível pra nômades que queiram fazer uma pausa no deserto

https://scontent-gru2-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/13466348_1272844446074203_3785052265738180379_n.jpg?oh=51c5e7f7723baa0f45407fa80564e7b3&oe=57E38A0C

Este hotel localizado em Marfa, no Texas (Estados Unidos), oferece uma experiência única de hospedagem em meio ao deserto. Ao longo de seus 21 acres, o hotel El Cosmico oferece aos hóspedes enormes espaços abertos e busca permitir também uma libertação de um mundo repleto de construções.

Segundo o site do hotel, ele é “a segunda casa para os viajantes intrépidos e andarilhos de todos os cantos do planeta” – o que já parece motivo de sobra para amar essa ideia!

cosmico3

Mas o mais legal são os “quartos” oferecidos pelo El Cosmico, que incluem reboques vintage, barracas, yurtas no melhor estilo mongol e todo tipo de alojamento diferentão que você puder imaginar. Além disso, há também espaços comuns onde os hóspedes podem trocar ideias, como uma cozinha e uma sala de jantar ao ar livre, além de salas de leitura e um lounge comum.

O visual é inspirador. Espia só:

cosmico1

cosmico2

cosmico4

cosmico5

cosmico6

cosmico7

cosmico8

cosmico9

cosmico10

Todas as fotos: El Cosmico