FOTO DO DIA

https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/d5/72/15/d57215d5474e352485e3d0a050eb385d.jpg

Lute com determinação, abrace a vida com paixão, perca com classe e vença com ousadia, porque o mundo pertence a quem se atreve e a vida é muito para ser insignificante.

SĂ©rie fotogrĂĄfica coloca humanos em meio a vastas paisagens pra mostrar como somos pequenos

Randy P. Martin Ă© um fotĂłgrafo que vive em Chicago, Estados Unidos, mas que faz parte do seu trabalho nos mais variados pontos do mundo. Na mais recente sĂ©rie, intitulada We Are Tiny (“NĂłs Somos MinĂșsculos”, em tradução livre), Martin coloca figuras humanas em vastos e impressionantes cenĂĄrios.

Vistos assim, os corpos não passam mesmo de pequenos pontos numa paisagem muito maior. A série serve para que não nos esqueçamos do nosso lugar no universo, respeitemos a natureza e o que nos rodeia. As fotografias do norte-americano se destacam por serem granuladas e pelo dinùmico jogo de luzes.

Veja o resultado:

WeAreTiny1

WeAreTiny2

WeAreTiny3

WeAreTiny4

WeAreTiny5

WeAreTiny6

WeAreTiny7

WeAreTiny8

todas as fotos © Randy P. Martin

Homem acha carteira e vai ao shopping. Quando o dono o encontra? Eu nĂŁo esperava por essa surpresa!

Perder a carteira Ă© uma das coisas mais frustrantes que pode acontecer dentre as coisas que vocĂȘ costuma perder por aĂ­.Ainda mais quando dentro dela estĂŁo cartĂ”es, dinheiro, RG, CPF, etc.

Nesse experimento, um rapaz deixa cair sua carteira na rua para ver o que as pessoas fariam. Praticamente todos os testados chamaram a sua atenção no momento em que ele a deixa cair.

Mas ninguĂ©m esperava que isso pudesse acontecer com uma dessas pessoas: um homem encontra a carteira e imediatamente vai ao shopping. Ele acaba sendo seguido pela equipe e, quando o dono da carteira aparece, descobrimos o que de fato ocorreu. É surpreendente do inĂ­cio ao fim. Veja:

TRIBO KARA

O Karo ou Kara é uma tribo pequena com uma população estimada entre 1.000 e 3.000. Eles estão intimamente relacionados à tribo Kwegu. Eles vivem ao longo das margens do leste do rio Omo no sul da Etiópia e cultivo de retiro de inundação de pråtica. As culturas que são cultivadas por eles são o sorgo, milho e feijão. Apenas pequeno gado é mantidos por causadas moscas tsé-tsé. Estas moscas são grandes e consomem o sangue de animais vertebrados.

As tribos aqui sempre trocaram entre si, de grùnulos,alimentos, gado e pano. Mais recentemente, o comércio foi em armas e balas. Inevitavelmente, como as estradas são feitas através da årea, outros produtos como a cerveja e comida encontram seu caminho para as aldeias. Hå sérias preocupaçÔes sobre o impacto de uma represa gigantesca que estå atualmente em construção. Irå produzir eletricidade necessåria, mas ao mesmo tempo que reduzirå o fluxo do rio e domar as temporadas de inundação e retiro, que as tribos que vivem a jusante dependem para nutrir as suas culturas.

MULHERES DE KARO
As mulheres de Karo sĂŁo conhecidas por seu trabalho produtivo e a dedicação ao servir suas famĂ­lias. Do nascer ao pĂŽr do sol, eles viajam a pĂ© aos seus locais de trabalho – o bush circundante e campos da tribo Karo. Todos os dias de suas vidas para manter sua famĂ­lia saudĂĄvel e vivo, enquanto os homens da tribo proteger a aldeia e as pessoas dos animais selvagens,caçam crocodilos ou outros predadores, ou simplesmente sentar-se sob uma cabana e mascar tabaco.


DIMI

A cerimÎnia de maior na vida de um homem é chamada Dimi. Sua finalidade é celebrar e abençoar sua filha para fertilidade e futuro casamento. Quando ele passou por Dimi, um homem torna-se um ancião.Outras açÔes sejam comercializadas para café e gado cerca de 10 e 30 animais menores são abatidos.Homens e mulheres vestem capas de peles de animais para a festa e dança, e os líderes da aldeia abençoe amenina.
ÁRVORE DO VALE DO OMO
O Karo eram conhecidos por suas magníficas casas(quando eles eram ainda ricos em gado), mas depois de terem perdido a sua riqueza, eles adotaram ocabanas muito isqueiro cónico. Cada família de Karo  possui duas casas: o Ono, que é a principal sala de estar da família, e a Gappa com telhado plano, que é o centro de vårias atividades domésticas.

VINDO DE IDADE
AtĂ© a idade de aproximadamente 11 e 12 anos , como uma provocação, garotas sĂŁo chamadas ‘animais silvestres’ou ‘rapazes’, uma vez que nĂŁo podem agir como mulheres (ou seja, roupas, casar etc) antes de eles sĂŁo circuncidados.
A cerimÎnia de touro pular é um rito de passagem para marcar a vinda dos meninos de idade.Cada menino, nua, tem que fazer quatro corre limpo por cima, as vacas, sem cair.

KARO
Como o Dassanech e a Banna, o Karo praticam rituais dançando e cantando. Para se preparar para uma cerimÎnia, eles pintam seus corpos e rostos com giz branco misturado com amarela rocha, minério de ferro vermelho e charcoal.me o sangue de animais vertebrados.
KORCHO VILLAGE, VALE DO OMO

O Karo não só decorarse com marcaçÔes brancas para atrair mulheres. Eles também fazem isso por uma série de outras razÔes, incluindo a olhar mais intimando aos de grupos indígenas rivais na região e como um meio para melhorar seu status.

Artista coloca 1000s de gemas de brilho em pisos, paredes e pessoas para criar arte caleidoscĂłpica Mandala

Suzan Drummen, um artista baseado nos PaĂ­ses Baixos, cria instalaçÔes de arte expansiva que usar milhares de minĂșsculos cristais deslumbrantes e outros objetos brilhantes para criar mandalas elaboradas e desenhos tĂȘxteis.
Surpreendentemente, Drummen nĂŁo usa um plano pre-feito para criar suas obras. “Eu nunca tenho um plano. O site especĂ­fico de guiame,”disse Irenbrination. “Verificar a luz, a rota dos visitantes, as cores, a altura, etc, no local. Na verdade a atmosfera inteira me guia. Cada espaço requer algo mais e a instalação cresce lentamente.”
O objetivo do Drummen Ă© oprimir o espectador; “A distĂąncia aparecem clara e ordenada, no entanto, apĂłs uma inspeção, os olhos ficarem desorientados por muitos detalhes e estĂ­mulos visuais. Naquele momento, de ser capaz de agĂŒentar tudo ou nĂŁo, Ă© explorado, e outra vez. A percepção visual Ă© desafiada, requisitou e intensificou-se.” Ela usa os pinos para fixar o cristal, metal cromado, pedras preciosas, espelhos e vidros Ăłpticos que ela usa para as paredes, mas estabelece esses objetos livremente no chĂŁo.
More info: suzandrummen.nl |