Poveglia, A Verdadeira Ilha Do Medo

poveglia

Não é o único lugar de Veneza onde aconteciam estas coisas, na verdade existem 3 ilhas com uso similar, porém nesta ilha havia um hospício onde usavam técnicas para tratar seus internos que hoje podem ser consideradas como tortura.

Esta ilha como outras em Veneza foi usada durante a época da peste negra. Qualquer suspeito de peste mesmo que não estivesse infectado ia parar lá. Tanta gente e tantos mortos estão nessa ilha que se calcula que 50% do terreno superficial da ilha é composto de restos e cinzas humanas. Os Venezianos não sabiam como se produziam as doenças, mas tinham bem clara a necessidade de isolar os infectados por 40 dias, assim nasceu o termo quarentena.

A peste negra que varreu a Europa durante a idade media foi a pior pandemia que a humanidade já enfrentou. Um em cada quatro morreu na Europa. As condições de vida nas cidades européias colaboraram para isto. Superpopulação, falta de higiene, alimentos e água contaminada dizimaram tanto aos ricos quanto aos pobres.

Por essa época estava começando a florescer um mundo mercantil que a muito longo prazo definiu o mundo que vivemos hoje. Veneza era uma peça fundamental no comercio e no domínio dos mares concorrendo com Bizâncio, os reinos muçulmanos e com os vizinhos de Genoa. Poveglia como outras ilhas de Veneza foram fortificadas para proteger a cidade e para isso foi construído o octógono que podia atingir inimigos em todas as direções, mas tarde esta construção fora abandonada quando já a ilha era chamada de ilha dos mortos. O octógono, porém foi usado mais tarde pelos ingleses para emboscar tropas francesas durante as guerras napoleônicas.

Algumas fontes indicam em mais de 1 milhão os mortos que estão lá, outras fontes são mais realistas e falam em 300 mil.

Historias de terror e mitos da ilha

A historia de terror da ilha começa a partir da época em que fora usada para depósito de mortos e quarentena durante a peste.

Na ilha existe uma igreja que fora construída durante o século XII e que hoje funciona como farol. Faz séculos que a igreja fora despojada dos seus sinos porém em certas noites de névoa pode ser escutado o seu som em toda a região.

A esta ilha chegam caçadores de fantasmas atraídos pelas historias da ilha. Parece que ninguém vê os fantasmas, porém se escutam barulhos estranhos. Pelo menos se acreditamos no que os internados do hospício relatavam, para eles aquilo tudo era muito real.

O hospício fora instalado nos anos 30 e seus internos foram os primeiros em relatar que durante as noites a instalação se transformava no lar de fantasmas. Os internos gritavam, choravam e imploravam para serem tirados de lá. Mas quem acredita em loucos? Também não acreditaram neles quando falavam que eram vitima de torturas…

Parece que a tortura rolava solta durante o período que um certo diretor que ninguém menciona mandava por lá. Ele era quem fazia experiências com os internos, desde lobotomias ate cirurgias de cérebro bizarras. Os gritos eram terríveis e dizem que durante esta época o campanário sem sinos se ouvia tocar mais freqüentemente.

Esse diretor que como lorde Voldemort ninguém fala o nome, acabou subindo no campanário um dia e se suicidou.

As historias de terror sobre a ilha continuaram mesmo depois do fechamento do hospício quando uma família comprou a ilha em 1960 para uso particular para descanso. Porém poucos dias depois de instalados a filha da família teve um acidente em circunstancias poucos claras. A família se mudou de lá e só manteve um vinhedo por algum tempo…

A ilha hoje

Hoje a ilha do medo pertence ao governo italiano e é parte do patrimônio histórico do país. Porém como as coisas não estão bem por lá e como a Itália é um enorme museu com outros lugares tendo prioridade na grana que vai para conservar sítios históricos, esta ilha esta bem descuidada, alias, tão descuidada que o governo a colocou a venda junto com uma longa lista de sítios similares. Ehh, o governo precisa reduzir as contas, então se tiver um dinheirinho sobrando quem sabe é uma boa oportunidade.

poveglia9

poveglia10

Poveglia, a verdadeira ilha do medo

poveglia

poveglia1

poveglia3

poveglia4

poveglia5

poveglia6

poveglia7

Anúncios

TEXTO DO DIA

“Erótica é a Alma”

“Todos vamos envelhecer…

Querendo ou não, iremos todos envelhecer. As pernas irão pesar, a coluna doer, o colesterol aumentar. A imagem no espelho irá se alterar gradativamente e perderemos estatura, lábios e cabelos.

A boa notícia é que a alma pode permanecer com o humor dos dez, o vicio dos vinte e o erotismo dos trinta anos. O segredo não é reformar por fora. É, acima de tudo, renovar a mobília interior: tirar o pó, dar brilho, trocar o estofado, abrir as janelas, arejar o ambiente. Porque o tempo, invariavelmente, irá corroer o exterior. E, quando ocorrer, o alicerce precisa estar forte para suportar.

Erótica é a alma que se diverte, que se perdoa, que ri de si mesma e faz as pazes com sua história. Que usa a espontaneidade para ser sensual, que se despe de preconceitos, intolerâncias, desafetos. Erótica é a alma que aceita a passagem do tempo com leveza e conserva o bom humor apesar dos vincos em torno dos olhos e o código de barras acima dos lábios. Erótica é a alma que não esconde seus defeitos, que não se culpa pela passagem do tempo. Erótica é a alma que aceita suas dores, atravessa seu deserto e ama sem pudores.

Aprenda: nenhum bisturi vai dar conta do buraco de uma alma negligenciada anos a fio.”


Por Adélia Prado.

Casal questiona racismo no Brasil ao destacar a beleza dos mais ignorados: os negros

 

Se a gente for observar a quantidade de negros que fazem parte do mundo da moda – ou até mesmo no mercado de trabalho – vamos encontrar uma porcentagem muito baixa. Mas o que justifica isso? No Brasil não existem pessoas de pele escura?

Foi com o mesmo questionamento que um casal (Cláudio e Victoria) de Salvador, na Bahia, decidiu abrir o salão de beleza Mukunã Dreadlocks, uma empresa que quer empoderar o povo negro através da representatividade do cabelo rastafari.

E é exatamente esse tipo de penteado que mais sofre repressão no Brasil. A ideia da Mukunã, além de tudo, é mostrar diferentes tipos de cores e estilos que cada dread pode ter, reforçando a cultura africana. Inclusive, ‘mukunã’ quer dizer ‘cabelo’ em iorubá, idioma falado no sul do Saara, na África.

makuna

Há pouco tempo, o fotógrafo brasileiro Kelvin Yule se reuniu com o Victoria e Cláudio para um ensaio utilizando modelos afrodescendentes. E, vendo essas imagens, reforçamos a pergunta: por que tão poucos negros nas passarelas e campanhas publicitárias?

makuna2

makuna3

BigMakuna1

BigMakuna2

BigMakuna3

MukunaExtra4

BigMakuna4

makuna6

 

makuna7

MukunaExtra2

MukunaExtra3

MukunaExtra1

makuna19

BigMakuna5

BigMakuna6

Todas as fotos © Kevin Yule

Conheça o Papai Noel mais estiloso de todos os tempos

 
Quando chega dezembro, uma profissão bastante particular começa a ganhar destaque. São em geral homens mais velhos, gordinhos e com barba branca e você poderá encontrar um deles em praticamente qualquer shopping. Porém, por mais que você procure, nenhum será tão fashion quanto o Papai Noel do shopping Toronto’s Yorkdale, no Canadá.

Paul Mason trabalha há 30 anos como modelo e é o responsável por dar vida ao personagem, que se distingue bastante dos papais noéis convencionais. Mais magro e mais jovem, ele preserva a barba branca como uma característica marcante e conta que prefere ficar distante das crianças para que elas não o confundam com o bom velhinho tradicional: “Adultos são mesmo o meu foco“, diz.

O Papai Noel fashion faz parte de uma campanha do shopping que irá doar 1 dólar canadense para a instituição SickKids Foundation para cada pessoa que tirar uma selfie com ele e postar em suas redes sociais com a hashtag #YorkdaleFashionSanta.

É uma releitura moderna das fotos típicas do Papai Noel“, conta o modelo, e o motivo não poderia ser mais nobre. Confere só alguns dos looks do bom velhinho:

FashionSanta3

Todas as fotos: Divulgação

Homem lista as razões pelas quais ama sua namorada que está lutando contra a depressão

 

Lidar com doenças psiquiátricas como a depressão pode ser muito complicado e a pressão social para que quem sofre com isso “fique bem” é um dos motivos que torna esse problema ainda pior. Mesmo que não exista uma fórmula mágica para se curar, é sempre importante procurar ajuda profissional – e contar com o apoio e a compreensão das pessoas próximas faz toda a diferença durante o tratamento.

O recém-casado Tim Murphy parece ter percebido isso e decidiu surpreender sua esposa Molly, que sofre de depressão, com um belo gesto de amor sem sequer sair de sua casa, em Los Angeles. Quando voltou de uma viagem a São Francisco e estava se sentindo especialmente mal, Molly percebeu que Tim havia escrito uma mensagem com 15 razões pelas quais ele a ama no espelho do quarto.

molly1

Tim escreveu os seguintes pontos no espelho:

1. Ela é minha melhor amiga 2. Ela nunca desiste de si mesma ou de mim 3. Ela me dá tempo para trabalhar em meus projetos malucos 4. Ela me faz rir, todos os dias 5. Ela é exuberante 6. Ela aceita a pessoa louca que eu sou 7. Ela é a pessoa mais gentil que eu conheço 8. Ela tem uma bela voz para cantar 9. Ela foi a um clube de strip comigo 10. Ela passou por tragédias graves, mas ainda é a pessoa mais otimista a respeito da humanidade que eu conheço 11. Ela deu total apoio às minhas escolhas profissionais e sempre me seguiu 12. Sem perceber, ela me faz querer fazer mais por ela do que eu já quis fazer por qualquer pessoa 13. Ela fez um trabalho incrível ao avançar em sua carreira 14. Pequenos animais fazem ela chorar 15. Ela faz barulho quando ri

molly2

Não estou dizendo que uma doença mental é curada por palavras legais em um espelho. Na verdade, é preciso cuidado profissional, amor, empatia e às vezes até medicamentos apenas para lidar com isso“, diz Molly. Mesmo assim, ela garante que sempre que se sentir mal, sabe que poderá ficar melhor ao se olhar naquele espelho e perceber o porquê de ser uma tão pessoa especial.

molly3

Todas as fotos: Reprodução

Barbeiro corta cabelo gratuitamente para crianças que lêem para ele

Por meio de pequenas e simples atitudes podemos melhorar a vida de muitas pessoas. Prova disso é o barbeiro Courtney Holmes, de Iowa, no Estados Unidos, que incentiva as crianças a lerem para ele enquanto ganham corte gratuito de cabelo.

Com a volta às aulas, os alunos que têm dificuldades de ler podem passar por períodos de estresse, então Holmes, do salão Sparks Family, resolveu dar uma ajudinha a mais. Pai de dois filhos, ele teve a ideia de oferecer os cortes gratuitos exatamente por entender como é este processo de aprendizado. A troca de histórias por corte de cabelo aconteceu durante o eventoBack to School Bash, que busca conectar pessoas e recursos para o próximo ano escolar, em Comiskey Park.

As crianças podiam escolher alguns livros para ler a Holmes enquanto ele cortava o cabelo, e ambos trocavam aprendizados. Segundo a reportagem do The Herald, o pequeno Tayshawn Kirby, de 9 anos, aprendeu mais sobre a pirâmide alimentar e que uma pessoa comum ingere até 68 kg de açúcar por ano. Ou seja, não basta apenas ler, tem que absorver a informação e expandir o conhecimento. Mais uma ideia para inspirar boas ações!

courtney-holmes-8

Foto © Mike Burley

courtney-holmes-6

courtney-holmes-3

Fotos © Telegraph Herald

Volta ao mundo em 5 incríveis cat cafés veganos

No Vegetariando Por Aí nós amamos viagens, comida vegana, lugares bacanas e gatos! Isso vocês podem peceber ao acompanhar nosso Instagram. Então imagine juntar tudo isso.

Os cat cafés surgiram na Ásia e foram muito difundidos pelo Japão! Com a ampliação da consciência das pessoas e respeito pelos animais, muitos cat cafés abrigam agora animais resgatados da rua e que procuram um lar. Geralmente os estabelecimentos fazem parceria com Ongs de Direitos Animais, ou mesmo são fundados por ativistas com esse intuito. São verdadeiros negócios de impacto positivo no mundo.

Cat cafés são espaços acolhedores onde as pessoas podem comer, beber, encontrar amigos e socializar com gatos que lá são abrigados. Os cat cafés veganos não promovem exploração animal, ou seja, abrigam animais resgatados e esterilizados que procuram adotantes, e não utilizam nada de origem animal nas bebidas e comidas. É oferecido de tudo: tortas, pães, cappuccino, frozens, bolos… Mas tudo 100% vegetal, como o uso de leite de amêndoas.

1. Gourmet Neko Cafe in Kagoshima (Japão)

Em Kagoshima, a pouco mais de mil quilômetros de Tóquio, a francesa Matilda fundou nesse ano de 2015 o Gourmet Neko Cafe, com doces franceses, salgados, quiches veganos e gatos! No site, eles falam que acreditam que a proteção animal não se limita aos pets, mas que todos os animais devem ser respeitados, e por isso promovem o veganismo.

CatVeganCafe1Foto: Divulgação

2. Cat Bistrô Romeow em Roma (Itália)

O Romeow é o primeiro cat bistrô vegano do país! Foi aberto em dezembro de 2014 e tem uma decoração linda, criativa e aconchegante onde os gatinhos acolhidos brincam e dormem pelo espaço.

CatVeganCafe2

Foto © Anglo Italian Follow Us

CatVeganCafe3Foto © Francesco Demichelis

3. Café Venosa em Montreal (Canadá)

Ele é o terceiro cat café de Montreal, mas o primeiro com o diferencial de ser vegano. “Eu combinei essa ideia de ajudar gatos com a ideia de proteger todos os animais”, disse a proprietária Summer para o site I Have Cat. O Café Venosa é um café, galeria de arte e lar transitório de animais para adoção. No estabelecimento, há um espaço reservado que é apenas para os gatos, onde eles podem escolher por onde transitar, se ficam na área comum socializando e brincando ou nessa área para descansar.

CatVeganCafe4Foto: Huffington Post 

4. Blue Cat Café em Austin, Texas (EUA)

O primeiro cat café do Texas abriu em Outubro desse ano de 2015, com felinos castrados de organizações de resgate locais disponíveis para adoção. Localizado em Austin, o Blue Cat Café oferece bebidas no ambiente interno e pratos veganos no food truck do pátio. “Isso só faz sentido se a nossa essência é o amor aos animais … ser vegano e não comer animais”, disse a proprietária Rebecca Gray.

CatVeganCafe5Foto © Vegan in Brighton

CatVeganCafe6Foto © Do 512 Family

5. La Gateria na Cidade do México (México)

O La Gatería é o primeiro cat café vegano da América Latina e ainda conta com boutique especialmente para felinos, com mais de 200 produtos. Já o menu do restaurante é prioritariamente local e orgânico. O design interior foi planejado para além de ser acolhedor e estiloso, prover bem-estar e felicidade para os gatos, que estarão livres pelo ambiente interagindo com as pessoas, escalando, brincando ou dormindo em um esconderijo. Prrrrrr…

CatVeganCafe7Foto © Alejandra Carbajal

CatVeganCafe8Foto © Lilian Lozano

CatVeganCafe9Foto © Lilian Lozano