Polonesa de 51 anos caminha 69 dias sozinha para chegar ao Polo Sul

Há quem reclame de ter que andar um quarteirão para ir até a padaria, mas Malgorzata Wojtaczka, uma polonesa de 51 anos não tem problemas com caminhadas. Originária da cidade de Wroclaw, ela andou por 69 dias pela Antártida até chegar ao Polo Sul no dia 25 de janeiro.

01

Foram 1.300 km, cruzando locais a 2.700 metros de altitude, puxando um trenó de 100 kg onde levou equipamento, comida e combustível especial para usar em seu fogareiro – o combustível normal não pode ser usado nestes locais, pois congela.

Wojtaczka foi a primeira mulher polonesa e uma das poucas mulheres no mundo a chegar ao Polo Sul sozinha, sem nenhum tipo de assistência. Em 1994, a norueguesa Liv Arnesen foi a primeira mulher a chegar caminhando até o polo Sul nestas mesmas circunstâncias.

02

A polonesa partiu em 18 de novembro de 2016 (após dois dias de aclimatação) de Hercules Inlet, no extremo sudoeste de Ronne Ice Shelf, que cerca o mar de Weddel. Ela caminhou 20 km por dia, exceto quando o mau tempo e os ventos fortes a obrigavam a andar mais lentamente. No último dia da viagem ela marchou sem parar em uma temperatura de 34 graus Celsius negativos.

* Todas as fotos: Reprodução

Anúncios

A diferença entre a comida da primeira classe e da econômica nas principais companhias aéreas do mundo

As diferenças entre a classe econômica e a primeira classe não são apenas o valor da passagem, o espaço e o nível de conforto. O cardápio também é uma das características marcantes entre elas. Quem tem o privilégio em poder optar pela primeira classe – que é a categoria de assento mais caro – possui mais possibilidades de pratos e bebidas e, obviamente, também tendem a ter uma apresentação bem mais sofisticada.

Abaixo você pode conferir a diferença dos alimentos servidos nas duas classes em algumas das principais companhia aéreas do mundo.

01 – Singapore Airlines

Jantar na classe econômica
01-Singapore_Economy

Jantar na primeira classe
01-Singapore_first

02 – Emirates

Jantar na classe econômica
02-Emirates_Economy

Jantar na primeira classe
02-Emirates_First

03 – Turkish

Jantar na classe econômica
03_Turkish_Economy

Jantar na primeira classe
03_Turkish_First

04 – Korean

Jantar na classe econômica
04-Korean_Economy

Jantar na primeira classe
04-Korean_First

05 – Airfrance

Jantar na classe econômica
05-AirFrance_Economy

Jantar na primeira classe
05-AirFrance_First

06 – American Airlines

Jantar na classe econômica
06-AmericanAirlines_Economy

Jantar na primeira classe
06-AmericanAirlines_First

07 – Delta

Jantar na classe econômica
07-Delta_Economy

Jantar na primeira classe
07-Delta_First

08 – United

Jantar na classe econômica
08-United_Economy

Jantar na primeira classe
08-United_First

09 – British

Jantar na classe econômica
09-Britsh_Economy

Jantar na primeira classe
09-Britsh_First

10 – KLM

Jantar na classe econômica
010-KLM-Economy

Jantar na primeira classe
010-KLM-First

* Todas as fotos: Reprodução

Ele dirige táxis e transformou seu emprego em arte fazendo fotos de seus passageiros

O africano Yaw Addae tornou-se um motorista de taxi em Nova York com um único objetivo: ele queria juntar dinheiro o suficiente para fundar sua produtora, a Yaw Photography. Mas ao invés de apenas dirigir, Yaw nos dá uma lição de criatividade, que deve ser lembrada por todos os que querem transformar seus trabalhos: criou um projeto chamado “Riding Yellow“, em que ele vira a câmera para o passageiro sentado banco de trás do seu táxi amarelo e eterniza o momento através da fotografia.

Sua série incluí passageiros e transeuntes, que Addae encontra na sua linha de trabalho. Ele conta que “não poderia apenas dirigir um táxi e estar satisfeito, mas sim ser ele mesmo, com toda a sua criatividade“. Entram na série os passageiros abertos a conversar, que de alguma forma se conectam com ele. Veja o resultado do seu trabalho aqui:

Foto 1

Foto 5

Foto 3

Foto 2

Foto 6

Foto 7

Foto 8

Foto 4

Todas as fotos © Yaw Addae

A incrível forma que essa fotógrafa encontrou para ajudar na adoção de gatos

 

Lembra-se do divertido vídeo em que cãezinhos eram clicados enquanto se chacoalhavam? Relembre aqui. A autora do projeto é a norte-americana Carli Davidson, que agora aplicou a mesma proposta a 61 gatos fofos que estão disponíveis para adoção.

Na série Shake Cats, Carli usa sua câmera de alta velocidade para captar o momento em que os bichanos se movimentam, marcando cada pelo e saliva que fica no ar – o que resulta em fotos pra lá de impressionantes, como você vê abaixo!

Embora muitas pessoas pensem que ela usou borrifos d’água para causar tal reação nos gatinhos, a fotógrafa conta que, na maioria das vezes, fazer carinho com a mão molhada é o suficiente para fazer com que o gato se chacoalhe todo. O objetivo da fotógrafa é incentivar a adoção dos felinos e com essas caretas incríveis, é impossível não querer um deles!

shake-cat

shake-cat2

shake-cat3

shake-cat4

shake-cat5

shake-cat6

shake-cat7

shake-cat8

shake-cat9

shake-cat10

shake-cat5

Todas as fotos © Carli Davidson