Pessoas do mundo inteiro estão enviando livros pra botar novamente de pé uma biblioteca destruída pelo ISIS

Não é por acaso que a maioria dos regimes totalitários atacam e muitas vezes destroem as instituições de ensino e os meios pelos quais o aprendizado se dá: universidades, escolas e bibliotecas costumam ter de se submeter à loucura de tais regimes ou à destruição, pois se o conhecimento é o mais eficiente caminho para a liberdade, a ignorância é irmã do autoritarismo. Assim, quando o grupo terrorista ISIS tomou conta da cidade iraquiana de Mosul, em 2014, seus militantes rapidamente saquearam a universidade local e incendiaram sua biblioteca.

Acima, a universidade e sua biblioteca antes do ataque

Centenas de milhares de livros e manuscritos foram destruídos – incluindo, além dos livros em diversas línguas, mapas históricos, periódicos da era Otomana, manuscritos ancestrais e até mesmo um exemplar do Corão, livro sagrado muçulmano, do século IX. Depois de tomarem a universidade, os militantes do ISIS obrigaram os professores a reescreverem os livros didáticos, adaptando-os à nova realidade e ao novo sistema de ensino que seria imposto com o califado que agora governaria a região.

A biblioteca, depois do ataque © Mohamed El-Shahed

Aos poucos, porém, as forças de segurança foram retomando os arredores da cidade e boa parte de Mosul voltou a pertencer ao povo iraquiano. Com isso, um blogueiro anônimo começou uma campanha tão bonita quanto foi terrível o que ocorreu na universidade, para recuperar a biblioteca e principalmente seu acervo. O blogueiro, conhecido como Mosul Eye (Olho de Mosul), se formou e era professor na universidade – que foi fundada em 1967 e é uma das mais importantes da região. Assim que o bairro onde a universidade está localizada foi retomado e liberado, um mutirão começou a reformar o local.

Mais de 2 mil volumes foram recuperados ainda intactos do incêndio e, através de vendedores locais, doações da população e também doações de todo o mundo, cerca de 10 mil livros já foram reunidos para a nova biblioteca – o plano é chegar a 200 mil, para enfim reabri-la.

 

© Sabah Arar/AFP/Getty Images

Até mesmo um festival foi organizado para ajudar na reconstrução. Todo tipo de livro está sendo aceito, e a ideia reabrir a biblioteca de Mosul no início de 2018.

© Ali Al-Baroodi

Precisamos reconectar Mosul com o resto do mundo”, disse Mosul Eye, “Precisamos que o mundo mantenha o mesmo interesse por nós que tinham quando o ISIS tomou a cidade. Não nos abandone agora”.

© fotos: Mosul Eye/reprodução/fonte:via

Anúncios

10 coisas que aprendi viajando sozinha pelo mundo

Sabe aquela vontade que te bate de repente de largar tudo e viajar o mundo sem destino e nem hora pra voltar? Então, aí você pensa, e os amigos? Como viver sem eles? Como largar seu cargo conquistado com tanto suor? Ainda por cima, no caso das meninas, como carregar a vida em uma única mochila, sozinha, mundo afora? Afinal, o mundo deve ser muito perigoso pra uma mulher sozinha carregando uma mochila. Pronto, em 2 minutos já desistiu de tudo!

Só que comigo a vontade foi mais forte. Demorei quase um ano para tirar o projeto @anapelomundo do papel. Decidi, então, enfrentar os desafios e medos, mas isso é papo pra outro post. Hoje eu vou contar as lições que aprendi depois de ter passado um ano inteiro viajando sozinha por 18 países.

1. Defina o roteiro e faça o planejamento

APTND7

Se você é uma pessoa desorganizada, que não planeja nada, esquece onde deixou o celular, o cartão de crédito, enfim, esquece tudo, fique tranquilo, tudo isso vai mudar na sua vida. Acredite: foi assim comigo. Aos poucos, você passará a ter noção das rotas, destinos, localizações. Até chegar o dia que, por incrível que pareça, você será metódico e estrategista.

2. Guarde seu dinheiro

APTND9

Sim, ter dinheiro e se programar para a viagem é importante, mas não tem o peso que você imagina. Você vai perceber que na rotina de viver viajando gasta-se bem menos do que você já gasta no seu dia a dia. Dica fundamental: mais importante do que ter dinheiro é saber como você vai gastar e o que é importante para você. Tomar aquele vinho pontuação 98 da tabela Parker ou visitar uma atração única? Esse tipo de escolha passa a ser comum.

3. Pratique o desapego e dê lugar ao novo!

APTND8

Não importa o quanto você ame suas roupas, maquiagens e acessórios. Eles terão menos importância na sua nova jornada. Seja por falta de espaço na mochila, pela comodidade de só usar aquela roupa super confortável ou até por preguiça mesmo de carregar o peso. Desapegar é libertador. Você aprende a viver com o mínimo possível e sempre dando espaços para novas aquisições. Em uma viagem dessas você muda os hábitos, renova a alma e aprende o que realmente é necessário para viver.

Como é incrível perceber que, mesmo saindo sempre com a mesma calça nas fotos por meses, ela agora faz parte de uma história única com você.

4. Não questione o seu sonho. Seus amigos e parentes já farão isso por você…

APTND6

Por mais que você diga para as pessoas que vai investir tempo e dinheiro nesse sonho, que quer viajar sozinho foi uma opção, que foi sua escolha, muitas vão te questionar até chegar ao ponto em que quase você mesmo vai ficar em dúvida!

Já ouvi indagações habituais, tipo: onde está a tampa da sua panela? Nenhuma amiga quis ir com você? Cadê seu namorado? E por aí vai… Tirando algumas civilizações mais avançadas, as pessoas ainda acham estranho uma mulher estar aproveitando a vida sozinha. Para muitos essa é uma escolha aceitável apenas para homens ou mulheres jovens. Um pouco machista não?! Pois é, viajar e realizar seu sonho pode, também, ser uma lição para o mundo!

5. O mundo não é mais perigoso do que o que você já conhece!

APTND5

Gente! Isso é sério. Moramos em um dos países mais perigosos do mundo para mulheres, principalmente no quesito turismo solo. Ocupamos o 4º lugar, segundo uma pesquisa da Organização International Women’s Travel Center (IWTC), entidade que se dedica a auxiliar mulheres viajantes.

Já estamos acostumados a ter cuidado redobrado na nossa rotina. Esse fato me ajudou a passar ilesa por países perigosos, como Índia, líder do ranking, e México, que ocupa o terceiro lugar.

É claro que situações estranhas e bizarras irão acontecer e você sentirá medo, ele faz parte da nossa vida, mas não acredito que seja determinante para estragar ou cancelar sua viagem. Siga em frente.

6. Não aceite convites em situações em que esteja vulnerável

APTND10

Por mais atrativo que seja aquele convite que recebeu de um nativo simpático pra jantar ou tomar chá na casa dele, fuja! Às vezes dá uma vontade de saber mais sobre a cultura local, hábitos e tradições, mas não creio que um convite desse seja o momento ideal para desbravar. São muitos riscos envolvidos. Você estará sozinha para se defender. Infelizmente, não dá pra arriscar e ter certeza de que seria uma experiência legal.

Na Índia, fui convidada pelo motorista do meu tuc tuc, tipo de um taxi popular, pra jantar com ele e não fui. Na Jordânia, me chamaram para um casamento no deserto. Recusei. Como esses tiveram vários outros que também não foram aceitos. Use o seu instinto, a sua vivência pessoal e saiba que os perigos são os mesmos.

7. Faça amizades e viva intensamente histórias inesquecíveis

APTND3

Foram tantas amizades novas durante esses 365 dias pelo mundo… É claro que sei não serão amigos que farão parte do meu dia a dia, mas, juntos, compartilhamos histórias incríveis e memórias inesquecíveis. Eles farão parte das suas memórias de viagens. Um período único. E agora, com as redes sociais, fica mais fácil criar laços mais fortes se quisermos. Conhecer pessoas com ideias e cultura tão diferente te faz questionar a sua visão de você mesmo e do mundo. Sabe daquelas experiências na vida que não tem preço? Essa é uma delas.

8. Viva o amor no mundo

APTND2

Vamos lá, tem muita coisa ruim acontecendo por aí, mas tem muita coisa boa também gente. Viajar por tanto tempo me fez perceber que o mundo não é como a mídia nos apresenta. Vi pessoas muito felizes em países pobres e pessoas extremamente tristes em países ricos.

Não há uma regra geral: pobres são infelizes e ricos são felizes. O mundo não é o que se vê na televisão. O balanço foi mais positivo do que imaginava e a conclusão que tirei é essa. Existe, sim, muito amor no mundo e quem se dispõe a conhece-lo vai certamente ser mais feliz!

9. A liberdade compensa

APTND11

Nada melhor do que fazer o que quiser na hora em que quiser. Viajar sozinha te possibilita viver a mais pura definição da palavra liberdade. Sem regras, horários e conceitos. Liberdade de escolha para tudo. Poucas vezes na vida tive a sensação de ser livre quanto viajando.

10. Siga o seu instinto sempre

Depois de viver uma experiência única como essa tudo mudará. Todas as suas percepções de pessoas, coisas e hábitos. Muitos medos e dúvidas que antes eram intransponíveis serão superados. O que antes era desafio agora será uma pequena pedra no caminho. Alguns conceitos antigos que você tinha serão descontruídos, seu olhar sobre a vida mudará.

A maior lição que tirei de tudo isso é seguir sempre o seu coração. Seja no dia a dia ou em uma decisão maior. O instinto vem de algum lugar lá no fundo e eu costumo seguir sempre! Siga também. Conte comigo!

Acompanhe novas aventuras em @anapelomundo_66 Fonte:via

China constrói a fazenda solar mais fofa do mundo com o desenho de um panda gigante

A energia renovável acabou de receber uma injeção de fofura graças à Panda Power Plant, uma nova fazenda solar instalada na província de Shanxi, na China. A fazenda mais fora do convencional do mundo tem a forma de um panda e terá capacidade de 100 mw quando estiver completamente terminada.

panda-green-energy-china-1

A iniciativa da Panda Green Energy, em cooperação com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, faz parte de um impulso para educar os jovens chineses sobre energia sustentável. Consequentemente, um centro de atividades na fazenda solar orientará educadores locais sobre energia solar e seus benefícios. Desde o início da construção em novembro de 2016, o projeto progrediu rapidamente e a primeira fase está completa, com um panda de 50 mw conectado à rede.

Para obter a forma dessas criaturas peludas, a Panda Green Energy usou células solares de silicone monocristalino para as porções pretas e células solares de película fina para a face e a barriga brancas e cinzentas. Além de ser uma atitude muito fofa, a empresa deu um grande passo em mover a China em busca de soluções verdes em relação ao uso racional de energia.

panda-green-energy-china-2

A usina Panda de 100 mw fornecerá 3,2 bilhões de kWh de eletricidade verde em 25 anos, o equivalente a economizar 1,056 milhões de toneladas de carvão ou a reduzir 2,74 milhões de toneladas de emissões de dióxido de carbono.

Esta primeira usina Panda é apenas o começo. A Panda Green Energy revelou que pretende construir mais fazendas solares nos próximos 5 anos como parte do programa Panda 100. O objetivo é construir as áreas de Belt e Road que fazem parte da estratégia de desenvolvimento econômico do presidente Xi Jinping.

Todas as imagens: Reprodução/fonte:via

Ele bateu todos os recordes possíveis no quesito ‘coleção de Hello Kitty’

O japonês Masao Gunji, policial aposentado de 67 anos, é o responsável por trás da maior coleção de Hello Kitty do mundo. Os mais de 5 mil objetos, avaliados em mais de 800 mil reais, são a verdadeira paixão da vida dele.

O ex-policial conta que tudo começou há 35 anos, e que hoje a coleção cresceu tanto, que precisou abrigar os itens em uma casa construída especialmente para isso, chamada por ele de “Hello Kitty House”. Entre os objetos colecionados, há desde pelúcias e artigos de papelaria até capacetes e lixa de pé.

“Eu gosto da Hello Kitty por causa de sua expressão. Por algum motivo, quando estou triste, ela também parece um pouco triste. Quando estou feliz, ela também aparenta estar feliz”, contou ao Guinness Book.

Masao, que é casado, disse ainda que a esposa não tem ciúmes da coleção, muito pelo contrário. “Sempre que encontra novos itens, ela compra pra mim”, finalizou.

Todas as fotos © Yoko Akiyoshi/AFP/fonte:via